Floribike – Bicicletas públicas em Florianópolis

O Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis publicou, mais uma vez, o edital do sistema de bicicletas públicas da cidade: o Floribike.

Desenvolvido em parceria público-privada, a proposta do projeto Floribike é promover o transporte público por bicicleta com qualidade. A prefeitura será a encarregada da implantação e manutenção da infra-estrutura cicloviária, enquanto o setor privado, por meio de licitação, disponibilizará o serviço de locação de bicicletas por até 10 anos.

O novo edital prevê a instalação das estações de aluguel em 3 regiões centrais da cidade: Coqueiros, Centro e Bacia do Itacorubi.

Estacoes
Mapa de localização das estações da 1ª etapa.

O cronograma de desenvolvimento do sistema vai acontecer em 4 etapas. A primeira deverá ser executada logo após o fim da licitação, até novembro. As demais poderão ser implantadas após avaliação da Secretaria de Mobilidade Urbana pela necessidade de expansão ao longo dos próximos 3 anos.

1ª etapa: 30 estações, 300 bicicletas.
2ª etapa: 24 estações, 240 bicicletas.
3ª etapa: 20 estações, 200 bicicletas.
4ª etapa: 13 estações, 130 bicicletas.
Total: 87 estações, 870 bicicletas.

Para ler o edital completo, é só clicar aqui.


HISTÓRIA

Os primeiros planos do projeto Floribike datam de 2007, antes mesmo de muitas cidades importantes do mundo pensarem no assunto. Havia planos para o serviço começar em 2012, mas o edital só foi lançado pela primeira vez em 2013, quando acabou em licitação vazia. Apesar de ter 3 empresas qualificadas para a concorrência, o edital exigia um número muito grande de bicicletas e estações, além de outras exigências onerosas, tornando inviável a instalação do sistema. Sendo assim, o edital foi reformulado e sua republicação foi prometida inicialmente para 2014, mas só aconteceu no final deste mês, mais de dois anos após o primeiro.

Floribike_01
Imagem: Divulgação IPUF
Floribike_02
Imagem: Divulgação IPUF

HORA DE COLOCAR PLANOS EM PRÁTICA

Com a futura implantação do sistema de aluguel de bicicletas, torna-se especialmente necessário que o poder público também faça grandes investimentos na expansão da malha cicloviária da cidade. Afinal, se o Floribike vem para ser mais uma opção de transporte entre os outros já existentes (ônibus, taxis, carros), é essencial que o sistema funcione de forma atraente e prática, e que seja seguro para seus usuários. Já existem projetos cicloviários para todas as regiões onde o sistema será implantado, faltando apenas a execução destes.

Em Coqueiros, atualmente toda a região da orla já conta com uma Ciclofaixa de Lazer, que funciona apenas aos domingos. A implantação de uma ciclovia permanente no bairro é tema de discussão desde a inauguração do projeto, no inverno de 2013. A idéia é que haja segurança não só aos domingos, mas todos os dias da semana. Quem já pedala por esta região sabe que o trajeto Coqueiros-Centro é muito simples e fácil, porém é necessário tornar esta rota mais convidativa para quem ainda não tem o hábito de usar a bicicleta no dia a dia.

Lazer
Ciclofaixa de lazer, que só funciona aos domingos.

Na região do centro já existem algumas poucas ciclovias e ciclofaixas, porém limitadas apenas a uma pequena região e sem conexões entre si. Os projetos para a criação da rede cicloviária de todo o centro já existem pelo menos desde 2008, porém sem qualquer previsão de execução.

Rede Centro
Trecho do projeto do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF)

E por fim, na Bacia do Itacorubi também existem planos à espera de se tornar realidade. O mais conhecido é o da Avenida Madre Benvenuta, mas também existem projetos da UFSC para a o campus e outro elaborado pela ViaCiclo para toda a região.

Rede UFSC
Projeto de Rede Cicloviária da UFSC
bacia itacorubi
Projeto de Bacia Cicloviária da ViaCiclo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *